top of page

Adial é idealizadora do projeto “Qualificação para Motorista Profissional”

19.04.2024



A Adial participou nesta sexta-feira 19, do evento que marcou o início das atividades do projeto “Qualificação para Motorista Profissional em Goiás”, celebrado por meio do convênio entre o Governo do Estado de Goiás, mediante interveniência da Secretaria de Estado da Retomada (SER) por meio da sensibilização da coordenadora do Goiás Social, a primeira-dama Gracinha Caiado, no SEST SENAT unidade Goiânia-GO.


Os cem 100 candidatos selecionados receberam as orientações de cada etapa do projeto, assinatura do termo de adesão com indicação das responsabilidades, prazos e os benefícios estabelecidos, divulgação de vagas de emprego, e uma palestra sobre motorista profissional.


O diretor-executivo da Adial Log, Eduardo Alves, e o coordenador da Adial Talentos, Alfredo Santana, pontuaram que a entidade foi a idealizadora do projeto, baseado na carência que o mercado tem com motoristas profissionais,

Assim, ao analisar o projeto "Carteira Social, categoria B" promovido pelo governo de Goiás, a Adial Log identificou uma oportunidade de expandi-lo para abranger carteiras profissionais, especificamente para motoristas. “Observamos uma demanda significativa por motoristas carreteiros, categoria E, nas empresas associadas à Adial Log, com quase 500 vagas ociosas”, pontua Eduardo.


Para a Adial este projeto é de extrema importância para atender essa demanda e proporcionar dignidade aos interessados em obter a carteira de motorista categoria E. Eduardo pontua que atualmente, o salário para um motorista dessa categoria varia entre cinco e dez mil reais, o que é bastante atrativo. “O Governo Estadual reconheceu essa questão como social, pois ajuda a melhorar a renda familiar”, ressalta.


O projeto foi apresentado para o SEST SENAT, responsável pela operacionalização, e a coordenadora do Goiás Social e primeira-dama, Gracinha Caiado, mostrou grande interesse. “A Secretaria da Retomada foi convidada para colaborar na organização, enquanto o SEST SENAT ficará encarregado de administrar os cursos e as horas necessárias. Vale ressaltar que os cursos são obrigatórios e envolvem um investimento considerável, estimado entre R$ 4 a R$ 5 mil.


Alfredo Santana destaca que a Adial desempenha um papel fundamental neste projeto. “Nossa meta, após a formação dos profissionais, é integrá-los ao mercado de trabalho, especificamente nas empresas associadas. Esse é o nosso compromisso”, pontua.


É importante destacar que o projeto atraiu mais de 800 inscrições. Após uma triagem rigorosa, foram selecionados 100 candidatos, sendo surpreendente o fato de que 32 deles são mulheres. “Isso indica um interesse crescente das mulheres em ingressar nessa área, que historicamente foi dominada pelos homens”.

Comments


bottom of page