top of page

Um desconhecido em seu prato, o tomate

30.10.2023


O uso de tecnologias e da irrigação fazem do Brasil o nono produtor mundialSão 50 mil produtores, em sua maioria pequenas propriedadesem todas as regiões, com exceção da Amazônia.



Processado ou in natura, o tomate é a hortaliça mais consumida no Brasil e no mundoPara a botânica, ele é um frutoPara o senso comum, o tomate é uma hortaliça, parte integrante das saladas. A produção nacional do corado e coroado rei das hortaliças supera batata, cebola, cenouraabóbora e outrasO Brasil produz cerca de 4 milhões de toneladas por ano de tomate. O valor da produção se aproxima de R$ 9 bilhões. A maior contribuição da cadeia produtiva do tomate é para a saúde dos brasileiros, além de gerar muito emprego e rendaPouca gente sabe.


O tomate foi "Inventado" na Itália, em 1544por Pietro Andrea Mattioll, médico e botânicoEle cunhou o nome pomi d'oro eo apresentou como um novo tipo de berinjela. Cortado em segmentos, podia ser comido como talpreparado com salpimenta-preta e azeite de oliva.


O tomate é originário dos Andes peruanos e equatorianos. O sequenciamento de seu genoma (DNA) permitiu compreender sua domesticaçãoMesmo se muitos detalhes ainda são desconhecidosSua domesticação começou há cerca de 8 mil anos no AndesDali, ele foi introduzido na América CentralNo século 16, na chegada dos espanhóiso cultivo estava amplamente difundido no MéxicoNa domesticação milenar do tomate, a seleção aumentou o tamanho dos frutos e a diversidade das formas e cores.


A espécie mais próxima do tomate (Solanum lycopersicum) na natureza é o Solanum pimpinellifoliumEm grego, lycopersicum (AUKOTTÉрOIKOV) significa "pêssego do lobo"Há uma quinzena de espécies selvagens próximas do Slycopersicum. Charles Rick, da Universidade de Davis, Califórnia, consagrou sua carreira com a prospecção botânica de tomates na América do Sul. Ele reuniu centenas de lotes de tomateiros selvagens. Existe uma filiação genética direta entre o S. pimpinellifolium eo S. lycopersicum, na qual o Slycopersicum cerasiforme, o tomate-cereja, é considerado uma espécie intermediáriaTodas essas espécies resultam de uma seleção iniciada no Peru e continuada no México, por milhares de anos.


Ainda não se encontrou registro arqueológico do tomate, ao contrário do milho e do amendoimNem representação pictóricaOs primeiros escritos são os da conquista do México pelos espanhóisEles o apresentam como alimento comum dos astecas, encontrado em mercados, utilizado como planta medicinal e em oferendas religiosasPalavras do náhuatl, falado pelos astecaspassaram para centenas de idiomas, como "tomate" ("tomail"). "abacate" e "chocolate".


Os tomates introduzidos na corte espanhola e na Europa no século 16. de origem peruana e mexicana, apresentavam diversidade de tamanhos e cores, do amarelo ao vermelhoO nome italiano "pomodoro". "pomo de ouro", evoca o amarelo dos primeiros tomatesTemia-se serem venenosos. A toxidez é característica de muitas plantas solanáceas, como as beladonas


A solanina é uma toxina natural, comum em tomates, berinjelas, pimentões e batatas. Esse glicoalcaloidede sabor amargoquase insolúvel em água, é estável ao calorDifícil inativá-lo pela cocçãoOs niveis de solanina variam com a genética, os sistemas de produção e as condições de armazenagem. Doses de 2 a 5 miligramas por quilo de massa corporal causam sintomas de intoxicação e de 3 a 6 miligramas podem ser fatais


Para evitar a solanina, a colheita não deve ser precoceTomates verdes contêm mais solaninaÉ necessária a completa maturaçãoDeve-se evitar comer quantidades excessivas diariamente e escolher tomates maduros.


O tomate é um fruto climatério e amadurece depois de colhidocomo banana, manga, abacate, mamão e outros. Essa característica permite colher tomates verdes em São Paulo e enviá-los de caminhão a supermercados de Manaus, onde terminam de amadurecer e assumir a coloração vermelha.


Como planta ornamental, disseminada nos jardins botânicos e por viajantes, o tomate se espalhou pela orla do MediterrâneoOs italianos foram os primeiros a cultivá-lo para consumo no século 17, em Nápoles. Para a primeira garfada de macarrão com molho de tomate. foi preciso esperar até 1839quando Ippolito Cavalcanti codificouem dialeto napolitano, a receita do vermicelli cole pommodore em seu tratado Cucina Teorico-Pratica.


As estradas de ferro levaram o tomate em direção ao norte da Europa. No século 20com seleçãoirrigação e estufas cresceram produtividades, áreas cultivadascores (verde, rosa, laranja, amarelo, vermelho, preto) e formatos (oblongosredondos, alongados, com feitio de coração)Quando de qualidade, sua polpa é doce, perfumada e suculenta.


Um exemplo é o plennolo, o pomodorino del Vesuvio, o tomatinho do Vesúvio, a vedete de pizzaiolos e cuocos italianos, cultivado em 17 comunas, em torno de 300 m de altura, nas encostas do vulcão e colhido em cachosDesde 2009, ele tem certificação de origem protegida, exclusiva da Itáliao DOP, e é exportado para o Japão, Estados Unidos e diversos outros países.


Domesticação, difusão pelo mundo e programas de melhoramento genético causaram forte redução da diversidade genética molecular do tomate, apesar da enorme variação morfológica nos cerca de 10 mil tipos existentesEspécies selvagens são utilizadas em melhoramento genético para restaurar a diversidade original e trazer novas característicasBusca-se ampliar a resistência e a tolerância a doenças, a adaptação a condições ambientais diferentes e a qualidade dos frutos. Aqui, apenas a Embrapa tem pesquisas e resultados nesses temassobretudo viroses e pragas do tomateiro.


As sementes de tomate usadas no Brasil são importadasO custo é alto. Não são vendidas por peso-usual em outras plantas, e sim por lotes de mil sementesHoje, os tomateiros cultivados são híbridos (F1) e substituíram variedades de linhagem puraNão adianta plantar suas sementes; não serão como o tomate originalA genética é norte- americanae as sementes dos híbridos são produzidaspor terceirizaçãona China


O uso de tecnologias e da irrigação fazem do Brasil o nono produtor mundialA produtividade média é da ordem de 70 toneladas por hectareSão 50 mil produtores de tomate, em sua maioria pequenas propriedadesem todas as regiõescom exceção da Amazônia. Sudeste e Sul lideram a produçãoO maior Estado produtor é Goiás


No século 19migrantes europeus levaram sementes aos Estados UnidosO país criou o ketchup mais famoso e é o segundo produtorA China é a maior exportadora do produtoembora o consumo de tomate seja pequeno por lá


Existem basicamente dois sistemas de cultivoem estacas ou tutores para o tomate de mesaconsumido in naturae tomate rasteiro para a indústria. Dada a proximidade das indústriaso tomate para processamento é produzido principalmente em Minas GeraisGoiás e São Paulo.


O tomate é um superalimentoSão muitos seus benefícios à saúde. Com cerca de 90% a 95% de águatem baixo valor energético (2,4 gramas de carboidratos por 100 gramas)é rico em fibras (2 gramas de fibra por 100 gramas)contém carotenoidessendo 80% de licopeno (de 50 miligramas a 100 miligramas por quilo de tomate fresco) e outros (betacaroteno, xantofila). Seus efeitos antioxidantes e anti- inflamatórios são atestadosCarotenoides atuam no bloqueio do crescimento de tumores, no aumento das funções imune e cardiovasculare contra a degeneração macular relacionada à idadeCheio de nutrientes e sais minerais (potássiomanganês e magnésio)ele é fonte de vitaminas CDE e precursores da vitamina A.


No tomate, a concentração desses compostos depende das variedadesdas condições de cultivo e outros fatoresSeus efeitos resultam da forma como o organismo os assimila ou sua bloacessibilidade e biodisponibilidade. Essas propriedades são influenciadas pelos processos de industrialização do tomate. O licopeno, eficaz na prevenção do câncer de próstata, é mais biodisponível em molhos, se comparado ao tomate fresco.


tomate rende, em média2,5 quilos e demora mais de 2 horas para ficar prontoA indústria brasileira produz 83 toneladas de molho a cada 2 horas, quantidade 33 mil vezes maiorEntre os produtos industrializadosem latasvidros, garrafassachês e tubosestão molhos, pomarola, extratospolpas, concentradossucopó de tomate, tomates pelados e ketchup. No século 19migrantes europeus levaram sementes aos Estados UnidosO país criou o ketchup mais famoso e é o segundo produtorA China é a maior exportadora do produtoembora o consumo de tomate seja pequeno por lá.


Donas de casa conhecem bem as flutuações constantes no preço dos tomates. Variações climáticas causam oscilações de oferta para mais e para menos e impactam nos preços. No invernocom temperaturas mais baixas, a maturação é retardadaa oferta diminuie os preços aumentamNo verão, as temperaturas mais altas aceleram a maturação, antecipam e ampliam a oferta, e há redução nos preçosO excesso de chuvas favorece a incidência de doençasreduz a qualidade dos frutos, os volumes produzidos e eleva os custos de produção e os preços ao consumidor


Estudos da Embrapa apontamquem ganha com a flutuação e a especulação nos preços do tomate ao consumidor é o varejoO setor de tomaticultura é pouco organizadoComo em outras cadeias produtivasos agricultores precisam crescer em organização para obter maior lucratividadeOs mais estruturados e capitalizados plantam bem e vendem com maior rentabilidadedireto a supermercados e indústrias, sem atravessadoresPresença cotidiana nas mesas, o tomate contribui com a saúde pública, gera empregos e rendaMais de meio milhão de brasileiros vivem do tomateApós os ganhos em produtividadeas tecnologias buscam a qualidadeAos poucossegredoshistória e beneficios do tomate são revelados pela ciênciaAo inteirar-se pela primeira vez desse dom da biodiversidade sul-americana difundida para o mundo pela mão de ibéricos e italianosninguém precisa ficar corado ou vermelhocomo um tomateEm 2009durante a conferência. de imprensa de um jogo de rúgbi decisivo da Irlanda contra a Inglaterra, o craque irlandés Brian O'Driscoll sentenciou: "Conhecimento é saber que o tomate é uma frutaA sabedoria é não colocá-lo na salada de frutas".


Revista Oeste.

コメント


bottom of page