top of page

Resultados da busca

1015 itens encontrados para ""

  • Adial debate melhorias nas rodovias com produtores de Rio Verde

    12/07/24 A Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (ADIAL) participou, nesta sexta-feira, 12/07, de um encontro, em Rio Verde, para discutir a situação das rodovias na região. O evento contou com a presença de representantes da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), do presidente-executivo da entidade, Edwal Portilho, o Tchequinho, do diretor-executivo da Adial Log, Eduardo Alves, e de diversos produtores locais. Durante a reunião, os produtores discutiram a aplicação dos recursos do Fundo Estadual de Infraestrutura (Fundeinfra) para investimentos nas rodovias de Goiás. Para eles, o município de Rio Verde, um dos maiores contribuintes do programa, necessita de aplicação eficiente para melhoria da malha viária da região. As condições da GO-210, que liga a saída de Rio Verde a Montividiu em aproximadamente 7 km, também foram tema de destaque na reunião. Entre as preocupações está a quantidade de acidentes no trecho. Os representantes da Goinfra ouviram as reivindicações e prometeram trabalhar nas demandas dos produtores.

  • Nova infraestrutura elétrica inaugurada em Jataí atrairá investimentos

    09/07/24 Foi inaugurada nesta terça-feira, 09/07, em  Jataí, uma nova subestação e linha de alta tensão de energia. O presidente executivo da Adial, Edwal Portilho, o Tchequinho, participou do evento que teve a presença do vice-governador de Goiás, Daniel Vilela, e demais autoridades. Tchequinho destacou que a nova subestação e linha de alta tensão vão fomentar a economia da região. “A entrega da obra vai dar condições para que investimentos cheguem mais rapidamente a Jataí, e com isso, agregar valor na matéria-prima produzida aqui em abundância, como milho e soja. Vamos mostrar aos investidores o potencial do cerrado e a capacidade de alimentar o mundo com alimento seguro e de qualidade”, disse. A distribuidora Equatorial Goiás investiu cerca de R$ 60 milhões no sistema, que inclui a nova Subestação JK Jataí e a linha de distribuição de alta tensão (LDAT) Rio Claro-JK. A iniciativa visa dobrar a oferta de energia em Jataí e beneficiar mais de 70 mil clientes. A cerimônia também contou com a presença do presidente da Equatorial Goiás, Lener Jayme. Lener Jayme disse que a força-tarefa montada pela concessionária está transformando a realidade do sistema elétrico no estado e prometeu outras obras estratégicas até o fim do ano. "Em Jataí entregamos uma subestação com o que há de mais moderno no mercado e transformadores que podem ser comandados à distância. Reforçamos a qualidade, confiabilidade e credibilidade da rede para milhares de clientes", afirmou. O vice-governador Daniel Vilela ressaltou a aproximação da concessionária com os clientes e o esforço para atender as demandas dos parques industriais do estado. "Após assumir a concessão de distribuição de energia, a Equatorial Goiás tem efetivamente investido muito no nosso estado buscando atender as enormes demandas existentes dos mais variados parques industriais. A concessionária tem procurado ouvir a nossa população que ao longo de 20 anos sofreu tanto com o fornecimento de energia." Thiago Nepomuceno Carvalho, diretor de Regulação e Fiscalização da AGR, falou da  evolução do trabalho da Equatorial Goiás e a importância do complexo de alta tensão para o estado. "Quando a Equatorial assumiu, ela fez o compromisso com o estado e com a agência que não faltariam recursos e nem empenhos necessários. Hoje se concretiza mais um passo. A gente está aqui para cobrar, mas também para reconhecer e parabenizar." Jataí possui outras três subestações de distribuição de energia: Jataí, Rio Claro EQTL e Serra Azul.

  • Adial discute temas estratégicos em reunião mensal com associadas

    09/07/24 A Adial realizou na tarde desta segunda-feira, 08/07, a reunião mensal das associadas. Durante o encontro, foram debatidos diversos temas de interesse do setor industrial goiano. O presidente do Conselho da entidade, Zé Garrote, destacou a importância das iniciativas recentes. "A Adial tem atuado fortemente na logística competitiva, exemplo disso foi a visita ao Porto do Açu, e na questão sanitária e de rastreabilidade em Brasília. Também apresentamos novas informações sobre a reforma tributária, atualizando de maneira geral as associadas", disse. O presidente executivo, Tchequinho, comentou sobre outras ações relevantes. "Assinamos o termo decreto de liberdade econômica, que trata da desburocratização dos processos e procedimentos internos do governo, algo que nos interessa muito. Além disso, destacamos a participação da Adial no Brazilian Week em Nova Iorque, um evento importante para a abertura de mercados e apresentação das nossas empresas, produtos, cultura e gastronomia". A reunião, que ocorreu no formato híbrido, também apresentou a empresa "Metalúrgica Pontes" que atua na construção de grandes obras de estrutura metálica, e os Projetos de Lei 1189 e 1009/2024, que tratam da revogação da tributação das subvenções para investimentos da Lei 14.789/23. Esses projetos buscam facilitar a aplicação de recursos em investimentos, promovendo um ambiente mais favorável para o desenvolvimento econômico e industrial.

  • Pauta ambiental e tributária são destaques na reunião do FEE

    08/07/24 O Fórum das Entidades Empresariais (FEE) realizou na manhã desta segunda-feira, 08/07, sua reunião mensal na sede da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), em Goiânia. O encontro contou com a participação do presidente do Conselho da Adial, Zé Garrote, e do presidente-executivo, Edwal Portilho, o Tchequinho. Representantes de diversas entidades, incluindo a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), a Federação das Associações Comerciais, Industriais e Empresariais do Estado de Goiás (FACIEG), a Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (ACIEG), a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), a própria Fieg e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Goiás (Fecomércio) também estiveram presentes. Durante a reunião, foram destacados temas de relevância para o setor produtivo goiano. Questões ambientais ocuparam parte significativa da pauta, assim como a acessibilidade para pessoas com deficiência (PCD). A reforma tributária também foi tema de discussão, com debates sobre as leis complementares já aprovadas e os próximos passos a serem seguidos.

  • Adial participa da assinatura do decreto de Liberdade Econômica de Goiás

    08/07/24 A Adial participou nesta segunda-feira, 08.07, no Palácio Pedro Ludovico, do evento de assinatura do decreto que regulamenta a Lei de Liberdade Econômica de Goiás. A cerimônia contou com a presença do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do presidente do Conselho da Adial, Zé Garrote, e do presidente-executivo, Edwal Portilho, o Tchequinho. Durante o evento, Ronaldo Caiado também anunciou a assinatura de um documento que assegura a não elevação de impostos no estado de Goiás. "Momento especial e uma notícia boa, assinei um documento, não haverá mais aumento de imposto no estado de Goiás", afirmou. A Lei de Liberdade Econômica tem como objetivo transformar o estado em um facilitador para as atividades econômicas. O secretário-geral do estado, Adriano Rocha Lima, destacou a importância da Adial na conquista e elogiou a atuação da associação. "A nova regulamentação visa aumentar a competitividade de Goiás em relação a outros estados, promovendo um ambiente mais favorável para o desenvolvimento econômico", disse. O governador Ronaldo Caiado ainda ressaltou a atuação de todos os empresários e a necessidade de maior celeridade nas ações do estado. "O empresário goiano tem competência fora do comum e o estado precisa ser mais célere. Tenho lutado muito com isso a nível nacional para diminuir formalidades e dar agilidade para as ações", concluiu.

  • Adial confirma 2º Agro-Mil Experience

    01.07.2024 A Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial) confirmou a segunda edição do Agro-Mill Experience para o mês de outubro. A primeira edição foi desenvolvida em março deste ano e   abriu as portas da agroindústria goiana para empreendedores e influenciadores de todas as regiões do Brasil, a expectativa para esta nova edição está ainda maior. Personalidades de grande destaque no cenário nacional já confirmaram presença. Como o  jornalista e ativista, Renê Silva, a aventureira, Keka pelo Mundo e pela segunda vez,  o  ativista, gestor de projetos sociais, consultor, empreendedor e influenciador,  Raull Santiago.   Além dessas ilustres presenças, grandes empresas do estado de Goiás também marcarão presença. São Salvador Alimentos (SSA), em Itaberaí; a Jalles Machado, em Goianésia; o Grupo Cereal e a Fazenda Brasilândia, conhecida pelo cultivo regenerativo, em Rio Verde; e a Fazenda Estacas, especializada em confinamento bovino, em Jaraguá, são algumas das confirmadas, prometendo enriquecer ainda mais o evento com suas inovações e experiências de mercado.

  • Adial participa da inauguração de dois novos armazéns no Porto do Açu

    04/07/24   São 36.000m², sendo 12,8 mil m² de galpões e pátio dedicado de 14 mil m² para alavancar a movimentação de grãos e criar a sinergia entre os setores, duplicando a movimentação pelo T-MULT   A Adial participa nesta quinta-feira, 04/07, da inauguração de dois novos galpões do  grupo Minas Port no Porto do Açu, Norte Fluminense (RJ). São dois novos galpões de 6,4 mil m² cada, totalizando 12,8 mil m², com capacidade de estocagem de 70 mil toneladas, sendo 35 mil em cada um deles com foco no armazenamento de grãos (soja e milho). Além disso, uma nova área de 14mil m² estará pronta para armazenar diversos produtos, como combustíveis sólidos e matéria-prima para atendimento as Cimenteiras e Cales.     Da Adial estão presentes o presidente do Conselho da Adial, Zé Garrote, o presidente-executivo, Edwal Portilho, o Tchequinho, e o diretor-executivo da Adial Log, Eduardo Alves. A chefe de Gabinete da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Paula Coelho, e representantes das empresas associadas da entidade, Ananias Jaime (Citale),  Eduardo Oliveira (Volga), Antonio Augusto de Toni (SSA),l e Josimar Cesar (SSA) também participam. Zé Garrote explicou a todos a relevância da Adial para a indústria goiana. "Nosso trabalho é vital para o crescimento e desenvolvimento do setor industrial em Goiás". Além disso, destacou a a presença dos filhos do proprietário dos dois novos galpões. "Isso significa que eles estarão conduzindo um importante processo de sucessão, assegurando a continuidade e o futuro dos negócios", disse. Instalado no porto-indústria, o Terminal Minas Port será responsável tanto pela movimentação de suas cargas de combustível sólido como também prestará serviços de armazenagem e transporte para clientes do setor agrícola. O embarque das cargas exportadas acontecerá pelo Terminal Multicargas (T-MULT) do Açu.   Em paralelo à inauguração dos armazéns, o Grupo Minas Port também está implementando um novo conceito de sinergia entre os setores: Agro, Fertilizantes, Indústria de Cimentos e Produtos Siderúrgicos além de consolidar a logística casada no Porto do Açu, que visa aumentar a produtividade via transporte rodoviário. A frota de caminhões da empresa entrará no Açu trazendo soja para estocagem nos galpões e fará a logística reversa do complexo portuário, levando combustível sólido e fertilizantes para distribuição principalmente em MG e GO.   A nova estrutura de armazenagem promete ampliar ainda mais a competitividade para a movimentação destas cargas.   “Em uma mesma viagem faremos duas rotas, otimizando o transporte das cargas e reduzindo os custos de frete para os nossos clientes. Já os parceiros logísticos contam com um sistema robusto de automação, que foi desenvolvido pela companhia para agilizar todo processo que envolve descarga e carregamento de forma casada, aumentando de forma significativa sua eficiência operacional. Além desses fatores e para fechar de forma harmônica todo esse processo, será iniciada a construção da misturadora de fertilizantes no Porto do Açu”, explica Marcelo Marra, CEO do Grupo Minas Port.   O CEO ainda complementou que toda cadeia de importação e exportação será beneficiada, desde os produtores de grãos até o consumidor final. Além disso, destacou uma estimativa de quase 3 bilhões de reais que foram pagos em estadias de navios para atracação somente nos Portos de Santos e Paranaguá no ano de 2023. Já no Porto do Açu, os clientes irão dispor de uma janela contratada para atracação, reduzindo o altíssimo custo pago por toda cadeia pelo Demurrage dos navios.   Os dois novos galpões do Minas Port complementam a estrutura de atendimento para a oferta de mais serviços no T-MULT, que já conta com três armazéns cobertos, em operação desde 2023.   “O Porto do Açu é a alternativa logística mais eficiente para aumentar a competitividade das indústrias e do agronegócio do Sudeste e do Centro Oeste, com tempo de espera para atracação dos clientes muito menor do que a média dos demais portos do país. A nova estrutura de armazenagem do Grupo Minas Port vem somar à nossa capacidade. A proximidade dos armazéns ao terminal garante maior competividade para toda a operação. Estamos ampliando a capacidade do T-MULT ano a ano para dar vazão à demanda e ao crescimento dos clientes instalados no porto-indústria”, avalia Eugenio Figueiredo, CEO do Porto do Açu.   Crescimento exponencial do T-MULT   Em 2023, o T-MULT movimentou 2,1 milhões de toneladas, o que representou incremento de 33% em relação ao mesmo período em 2022. No último ano, foram adicionadas novas cargas ao portifólio, incluindo briquetes de minério de ferro, soja, milho para exportação, além de sal recebido por cabotagem. O T-MULT conquistou, ainda sete novos clientes, totalizando 55 no portfólio.  O terminal opera há oito anos, movimentando granéis sólidos e carga de projeto e teve uma alavancagem (ramp-up) de 43% ao ano (conforme CAGR – taxa composta de crescimento anual). O terminal obteve crescimento de operações de exportação, importação e cabotagem, dobrando suas operações em apenas dois anos. Com o equilíbrio entre cargas de importação e exportação, o terminal também oferece soluções competitivas focadas na necessidade dos clientes.   Até o fim de 2024, a área de cais operacional do T-MULT contará com 500 metros, com calado de até 13,1 metros, e um segundo berço para operar dois navios simultaneamente. Com isso, a capacidade de movimentação do terminal, já num primeiro momento, aumentará para 2,7 milhões de toneladas ao ano. Considerando também a expansão da área de armazenagem, será possível duplicar essa capacidade de movimentação ao longo dos próximos anos, chegando até 5 milhões de toneladas, que é o que uma operação simultânea de dois navios possibilita.

  • Adial no podcast "Papo Ligeiro"

    03.07.2024 O presidente-executivo da Adial, Edwal Portilho, conhecido como Tchequinho, é o convidado do podcast "Papo Ligeiro", apresentado pelo produtor rural Nilson Prado. A entrevista estará disponível na terça-feira, dia 16 de julho, às 18 horas, no Instagram e no canal do YouTube. O podcast foi criado em outubro do ano passado com o objetivo de destacar as qualidades e contribuições do empresariado, além de explorar e discutir temas polêmicos. Neste bate-papo, Tchequinho e Nilson discutiram vários pontos sobre a indústria, um deles foi o fim dos incentivos fiscais e a necessidade de leis regulamentares. Tchequinho destaca: "Goiás está, no mínimo, a 1.100 km de distância de portos, e estamos longe dos grandes centros consumidores. Goiás é um estado exportador, e quando o imposto é transferido para o estado consumidor, isso inviabiliza muito." Tchequinho e Nilson exploraram diversos aspectos cruciais da indústria. Um dos temas centrais foi o fim dos incentivos fiscais e a premente necessidade de novas leis regulamentares. Tchequinho destacou com precisão: "Goiás está, no mínimo, a 1.100 km de distância dos portos, e estamos longe dos grandes centros consumidores. Goiás é um estado exportador, e quando o imposto é transferido para o estado consumidor, isso inviabiliza muito." No tocante à situação da indústria láctea goiana, Tchequinho elucidou: "A produtividade goiana caiu. Atuamos junto com o AgreGo Lácteo para atender 70 mil produtores, investindo em recursos para a transferência de tecnologia no campo." Outro ponto de grande relevância foi a insegurança jurídica enfrentada por empresários e empreendedores. A discussão também abrangeu fatores determinantes para a competitividade em Goiás, tais como energia, sistema rodoviário e segurança alimentar. Para uma imersão completa nesses e em outros tópicos, não perca o podcast no dia 16 de julho, terça-feira.

bottom of page